Como cuidar e preservar a delicadeza das Orquídeas

ico admin ico 26/10/2012

 

Por ser uma planta bastante delicada e frágil, muitas pessoas não sabem como cuidar de orquídeas e acreditam que seu cultivo requer inúmeras técnicas e segredos. No entanto, a realidade é que, com métodos adequados, é possível preservar sua beleza e delicadeza de forma bem prática.

Elas combinam muito bem com qualquer ambiente, seja interno ou externo. Inclusive, é interessante saber que no mundo existem mais de 50 mil espécies e, em média, quase 3 mil estão aqui no Brasil. As mais conhecidas são Phalaenopsis, Dendrobium, Oncidium, Vanda, Cattleya e Denphal.

Cada espécie se adapta melhor em espaços diferentes e exige cuidados específicos. Por isso, entenda agora mesmo como manter o crescimento belo e saudável das suas orquídeas com as dicas que preparamos neste post. Continue conosco e confira!

 

Escolha o local ideal

 

Por serem consideradas espécies exóticas, muitos preferem deixá-las em um local de destaque, como quintais, jardins ou no interior da casa mesmo. Independentemente do ambiente, é essencial que seja bem iluminado.

Quer saber se a incidência de luz está correta? Observe as folhas da sua orquídea. Caso estejam amareladas, a iluminação está excessiva. Agora, se estiverem mais escuras, finas e alongadas, significa que falta luminosidade.

Se a sua intenção for criar um viveiro, evite deixar as espécies próximas umas das outras. Isso permite a circulação do ar no espaço escolhido.

Inclusive, considere a climatização do ambiente no caso de sua região ser muito quente. As orquídeas suportam temperaturas entre 15°C e 25°C. Em contrapartida, há sempre a possibilidade de optar entre as espécies provenientes de regiões tropicais.

 

Adube as orquídeas

 

Saber como cuidar de orquídeas inclui avaliar o local em que a planta deve ficar. As orquídeas plantadas em vasos necessitam de cuidados diferentes das que ficam no tronco de árvores ou amparadas em toras de madeira.

Os vasos exigem que você adicione substrato criado a partir de minerais e outras substâncias que colaboram com o desenvolvimento da orquídea. Esse produto é encontrado em diversas floriculturas ou lojas especializadas em jardinagem.

 

No processo de adubação, é viável utilizar misturas de nitrogênio, fósforo e potássio, além das opções orgânicas. É bom lembrar que o uso excessivo do adubo é prejudicial, por isso, coloque o ativo em um dos cantos do vaso e deixe que ele mesmo se dissolva aos poucos.

Se você escolher utilizar fertilizante inorgânico, dilua-o em água e aplique no solo. A aplicação deve ser realizada uma vez por mês, exceto durante o outono e o inverno, devido às baixas necessidades nutricionais das orquídeas.

 

Regue diariamente

 

Quer orquídeas lindas e vistosas? Regue-as todos os dias — lembrando que o ideal é regar quando a terra estiver seca, senão o melhor é aguardar. Outra dica fundamental é não usar pratos no fundo do vaso, pois a umidade acumulada pode prejudicar seu crescimento. Além disso, evite molhar as pétalas. Essa ação facilita o surgimento de pragas, por conta da sua delicadeza.

 

Troque de vaso conforme as plantas vão crescendo

 

Se você decidiu cultivar orquídeas, a atenção com o seu desenvolvimento deve ser grande. Verificar as suas espécies com certa frequência é importantíssimo para ver se as técnicas estão ajudando a saúde da planta.

Quando a base da flor estiver a, pelo menos, um dedo da parte superior do recipiente é o suficiente para sinalizar que a troca de vaso deve ser feita. Ao replantar uma orquídea, invista em vasos de barro para que a água seja drenada de maneira apropriada.

Deve ser posicionada para frente onde há maior quantidade de brotos, para receber mais luz e ar fresco. Para concluir o trabalho, adicione chips de fibra de coco ou musgo.

Uma dica é instalar plaquinhas plásticas de identificação, anote o nome da espécie e a última floração

 

Esterilize os materiais utilizados

 

Orquídeas são espécies extremamente frágeis à contaminação por microrganismos. Por isso, sempre que for podar as plantas, esterilize a tesoura com um maçarico portátil ou esquente a ferramenta no fogão.

Se você for podar todas as flores do seu orquidário, a sugestão é repetir o processo antes de utilizar a mesma tesoura em outra planta. Esse cuidado é primordial para o desenvolvimento saudável da flor mais apreciada pelos brasileiros.

 

Tome cuidado com as pragas

 

Plantas cultivadas em jardins têm mais chances de sofrerem com ataque de pragas, como lesmas, caracóis e algumas espécies de formigas. Embora a incidência de casos seja baixa nas flores desenvolvidas em vasos, as orquídeas não ficam de fora.

As pragas mais comuns no caso dessas plantas são os pulgões — por essa razão,  é necessário cuidar das suas orquídeas da maneira correta. Além disso, também há possibilidade de aplicação de inseticidas para resolver alguns casos.

Por fim, é essencial compreender que, quanto mais você for capaz de reproduzir as condições ambientais da flor, melhor será a qualidade de vida da espécie que escolheu para ornamentar o seu jardim, o quintal ou complementar a decoração da sua casa.

 

Quer mais dicas sobre plantas e orquídeas? Entre em: como cuidar de orquídeas

Gostou dessas dicas sobre como cuidar de orquídeas? Aproveite a visita em nosso blog para assinar a nossa newsletter. Assim, você vai receber nossas atualizações em seu e-mail e conhecer todos os assuntos relacionados a orquídeas e outras espécies!

Deixe um comentário