Aprenda como montar um jardim japonês

ico admin ico 03/09/2020

Aprenda como montar um jardim japonês na área externa da casa

Quem nunca se deparou com a beleza e a simbologia de um jardim japonês, não é mesmo? Além de algumas características normais que todo jardim deve ter, como a presença de vegetação, ele carrega muitos significados que envolvem a filosofia oriental. 

Mas, quando falamos em sensações, paz e tranquilidade são as primeiras transmitidas por esse belo jardim, que pode ser feito em uma área externa de sua casa. Com alguns materiais e um pouco de criatividade, mesmo em um pequeno espaço, ele pode ficar deslumbrante.

Partindo-se da premissa de que é um jardim voltado para a meditação e sua construção engloba alguns conceitos do Feng Shui, é fácil concluir que ter um espaço desse na sua residência é uma excelente ideia, e que pode trazer muita paz e relaxamento, concorda?

O que acha, então, de continuar a leitura e aprender a fazer seu próprio jardim japonês? 

Defina o espaço

A primeira medida para montar seu jardim japonês é pensar no espaço disponível que terá para a sua composição. Depois, pense em tudo que um projeto desse tipo deve ter, como vegetação, pedras, ponte, cascata, lago, etc. Após isso, e baseado no tamanho do espaço, inclua os principais itens.

Por fim, é só definir a localização de cada elemento, distribuindo-os de forma harmoniosa, sempre pensando na área disponível, de modo a evitar colocar componentes em excesso.

Escolha a vegetação

Uma característica desse jardim é o número de espécies ser relativamente pequeno. No entanto optar por exemplares de grande beleza é essencial, assim como posicioná-las de forma a ocuparem bastante destaque.

Alguns tipos de vegetação não podem faltar, como o bambu (espécie obrigatória em qualquer jardim oriental) e a árvore-da-felicidade. Contudo, outras plantas são também muito utilizadas, como: 

  • cerejeira do Japão;
  • bordo japonês;
  • ginkgo biloba; 
  • damasco florescente;
  • bonsai;
  • camélias;
  • azaleias;
  • tuias;
  • grama japonesa;
  • musgos;
  • buxinhos.

Utilize água por meio de cascatas, lagos e riachos

A simbologia da água no jardim japonês tem a ver com o ciclo de vida que vai do nascimento à morte. No entanto, quando o jardim não contém água, ela é representada por cascalhos, areias e pedrinhas.

Diante disso, ela pode ser utilizada de diversas formas, como em cascatas, fontes, lagos e riachos. A simbologia da água é algo bem profundo na filosofia oriental — ela diz que por meio de seu próprio reflexo, o homem reflete sobre si mesmo.

Escolha um terreno irregular

O terreno escolhido pode até ser pequeno, mas é importante que tenha declives e ondulações, uma vez que são fortes características desse jardim. Ele deve ser revestido por grama japonesa, pedras e brita branca ou amarela.

Componha o jardim com adornos 

Alguns adornos podem tornar seu jardim muito especial. Veja os principais:

  • lagos: a água, que além de representar o ciclo da vida, simboliza a paz e a pureza;
  • carpas: traduzem fertilidade e prosperidade;
  • lanterna de pedra: clareia os caminhos e ilumina a mente;
  • pontes: representam a evolução e o autoconhecimento humano, as produzidas em bambu significam a capacidade de adaptação.

Se você quiser poderá incluir outros enfeites, como bancos, cascatas, cercas de bambu, pedras para fazer caminhos e tudo mais que o espaço permitir, mas sem exageros. 

No mais, é escolher as espécies de plantas de sua preferência e fazer a melhor composição para seu jardim japonês. Mas não se esqueça de um local especial para você poder contemplá-lo e relaxar sempre que precisar.

Gostaria de ler outro conteúdo interessante como este? Confira, então, o que é um bonsai é seu significado!

Deixe um comentário